quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Este ano completam-se nove anos da extinção do Plano de Carreira.


Em novembro de 2009, a Câmara de Vereadores aprovou a extinção do Plano de Carreira, acatando a proposta feita pelo prefeito municipal. Passados nove anos, a categoria sente os efeitos desta medida, como a desvalorização da carreira, empecilhos para progressões, não reconhecimento imediato da formação etc. Nesses nove anos, a rotatividade de professores cresceu e Novo Hamburgo deixou de ser o destino almejado por professores de toda a região para se tornar um local de passagem. É possível também perceber os efeitos ao ver as dificuldades de se reporem estes professores que se exoneram ou se aposentam, pois muitos aprovados nos concursos preferem não assumir ao comparar a carreira de NH com de outros municípios da região. Nesses nove anos não diminuiu a urgência de revisão do Plano de Carreira, pelo contrário, ela está cada vez mais latente.